Crônicas

Não nos lembramos de dias, lembramo-nos de momentos.

Cesare Pavese

se escrevo de amor, escrevo você

há semanas que eu não conseguia sequer segurar em um lápis na mão em frente de uma folha branca. encarava o tracinho piscando na tela do notebook, do celular e não consegui digitar nada. estava engasgada, abarrotada de lembranças tuas, que foram resurgindo dos jeitos mais absurdos possíveis, nas pessoas mais improváveis. me senti apavorada […]

as nossas etc

Limpava a estante de livros, quando o teu abraço me apertou por traz como nos velhos tempos. Ah, os velhos tempos! O brilho dos teus olhos, cativando o meu sorriso, enquanto me encarava através dos espelhos. Ah, se os espelhos dessa casa contassem sobre nós! … são as lembranças da sua presença calorosa que ainda […]

o teu mar

Penso em te escrever quase todos os dias. Penso em dizer as coisas que ficam sempre entaladas de uma forma que me impede de seguir em frente. Há sempre muito para dizer, mas poucas formas de expressar. Sinto que estou perdendo a capacidade de expor os meus pensamentos como antes. Ou eu esteja me tornando […]

vontades

tenho vontade de te procurar, de te ver, de saber como você está, o que anda fazendo. tenho vontade de te ligar pra te contar sobre os meus dias, desabafar sobre as minhas confusões, sobre os problemas. tenho vontade de ouvir tua voz, de ouvir teu riso, de chorar de rir das tuas piadas. tenho […]

Caixa Postal 001

Querida (o) Clarice LispectorPedro ChagasVirginia WoolfJane AustenCarlos DrummondFernando PessoaCecília MeirellesRubem BragaPedro BandeiraAntonio PradaPaulo LeminskiMarco LucchesiJúlio CortázarNicholas SparksElizabeth Gilbert quando se está vazio, escreve-se sobre o que ? com admiração e desassossego Francielle Santos (Foto: Aphoxtic)

ainda te quero bem

“ei, como você está?” (digito infinitas vezes e apago em horas aleatórias do meu dia) nunca pensei que chegaria o dia que eu não teria mais razão para te enviar uma mensagem de texto que fosse. também, me recusei a prever que seríamos capazes de nos ferir como nos ferimos. nós sequer fomos capazes de […]

cicatrizes

[ela] era só uma menina… não importa quantas respostas eu busque na minha mente, eu nunca vou saber o porquê tinha que ser assim. não importa quanto tempo passe, o passado nunca vai deixar de ser o que foi. não importa quantas camadas de pele eu rasgue em mim, há cicatrizes que são inalcançáveis. não […]

eu não sei amar

você me faz bem de um jeito diferente. você está presente apesar da distância geográfica. você ficou, mesmo quando tinha todos os motivos para ir. e eu te decepciono dia após dia! consciente, tento não ser esse modo automático que afasta as pessoas, por medo de perdê-las mais a frente. tenho medo da dor que […]

ao infinito e além

lembra de quando estávamos perto do fim? eu estava na cozinha, apoiada na pia buscando forças para permanecer de pé. tentava engolir um pouco de água que não descia, a minha garganta estava fechada. as lágrimas corriam silenciosas queimando a minha pele. o nosso lar ecoava o nosso vazio. eu já não tinha mais nada […]

qual é o nosso problema?

qual é o nosso problema? – eu não faço mais a mínima ideia. meu pai, vire e mexe, quando a revolta bate (ultimamente com certa frequência) diz: “essa geração é perdida!” ele nem se dá conta que me ofende (ainda que sem querer) uma vez que se trata da minha geração, então fala de mim […]

o frio da vida

… estava encarando aqueles olhos castanhos escuro no reflexo do espelho, os olhos meus. procurava respostas, entendimento, amor e te ouvi. sabia que tua voz ainda faz eco na minha cabeça? fechei os olhos para te ouvir melhor. hábito. saudade. amor. tanto faz. contornei o meu corpo com os meus braços e sonhei com o […]

chegando no fim

estava chegando no fim. eu sabia. todos ao meu redor também sabiam. eu só precisava aceitar. encarar de cabeça erguida, deixar sangrar o que tinha que sangrar como um ritual de purificação. eu precisava nascer de novo, mas antes precisava morrer completamente. os dias estavam sendo cruéis demais. cada madrugada, uma sessão de tortura analítica […]

resta-me esquecer

resta-me esquecer. esquecer, que um dia me apaixonei pelos teus olhos negros. esquecer, que um dia me deixei envolver pelo tua voz, me convencer por tuas palavras, por teus jeitos… esquecer, que me deixei descobrir pelo toque preciso dos teus dedos, pela segurança das tuas mãos. esquecer, que transbordei no teu corpo. esquecer, que te […]

eu era a tua mulher

eu era a tua mulher, e era justamente você quem gostava de dizer isso em alto e bom tom para as paredes ouvir e baixinho, ao pé do meu ouvido… e eu era mesmo! eu queria ser. eu fazia de tudo para ser. eu me entregava inteirinha para ser. quando entrei no taxi naquela noite, […]

saudade, o coisinha desnecessária!

as palavras me escapam. sinto um desassossego. um aperto. uma vontade de chorar e nada. o teu colo faz falta nas tardes de sábado. o teu abraço apertado faz falta nas manhãs de domingo. eu nunca mais voltei a ser normal. ou nunca mais fiz questão de voltar a ser o que eu era. nem […]

Carregando…

Ocorreu um erro. Atualize a página e/ou tente novamente.


Siga meu blog

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.