Crônicas

Não nos lembramos de dias, lembramo-nos de momentos.

Cesare Pavese

os nossos grãos de café

Quando entrei naquela cafeteria, senti o cheiro forte de café e o calor dos teus olhos que percorreram o meu corpo de cima abaixo sem disfarçar. E eu, eu sorri por dentro! No mesmo instante desacelerei, entrei a passos firmes em cima daquele salto, que mais tarde, você disse que era da altura perfeita para […]

Não te posso escapar

Eu fugia da nossa verdade. Era preciso. Eu tinha pavor do que estremecia o meu corpo inteiro. Agitava todas as minhas entranhas. Achegar-me a ti é visceral! (e você sabe disso) Não pude escapar dos versos que me levaram até a tua intimidade. Não pude escapar do calor que subiu pelas minhas pernas, todas as […]

inconfessável

Eu acredito no que sinto. E o que sinto me apavora! Eu acredito em nós, nas coisas todas que ainda temos para viver. E eu sei, que mais cedo ou mais tarde, viveremos. Temos que viver! Devemos isso à nós. Eu acredito em dias melhores. Preciso acreditar para continuar respirando, resistindo, tentando. Li que é […]

Now and Forever

Now I can rest my worries and always be sure, that I won’t be alone anymore… Boyce Avenue Eu resisti para escrever sobre você, porque eu tenho medo do que as palavras podem registrar nesse mundo, tão cedo, sobre nós. Nesse mundo onde tudo é um caos, tudo é duvidoso, tudo é incerto. Nesse mesmo […]

você me ouve?

Faço queixas da tua incompreensão na sala do meu terapeuta. Ele me aguarda com aquele olhar sereno e paciente por mais devaneios ou conclusões, enquanto eu escondo o meu olhar triste e decepcionado nas folhas da árvore em frente a janela grande de vidro do consultório e que alcança até o quarto andar do prédio. […]

perdoa-me

Perdoa-me, por todas as vezes em que convencida pelas minhas urgências e ambições, eu segui em frente, sabendo que eu tinha que recuar. Perdoa-me, por todas as vezes em que tomada pelos medos, incertezas, covardia, recuei, quando deveria ter seguindo em frente. Quereria eu ter ido mais além. Tornado-me em quem acreditei que seria. Ter […]

como árvore cortada

I guess my heart never learns… Ainda Martin eu ainda procuro nas tuas sombras curativos para esconder os cortes na minha pele. eu ainda procuro nas memórias felizes, agora, tão remotas, um tipo de lençol para cobrir os cacos dos sentimentos quebrados, os pedaços de promessas rasgadas no meio da sala, com a tola intenção […]

o caminho que percorres em mim

percebo o caminho que o teu amor percorre em mim. com os dedos que tocam a pele para reconhecer o território a que desbravam. que dedilham como no violão na busca da nota perfeita, em mim, cada uma das minhas cicatrizes e marcas. com as mãos que acariciam a medida que o meu corpo pede […]

eu queria o mundo

eu queria o mundo. honestamente, eu ainda quero.  talvez, não como todo mundo quer ou pelas razões que impulsionam a maioria das pessoas, mas eu ainda quero.  liberdade é pouco. o que eu quero ainda não tem nome,  disse a saudosa Clarice Lispector e como eu a entendo, como me sinto exatamente assim. na ânsia […]

take me back to the start

come up to meet you, tell you I’m sorry. you don’t know how lovely you are. I had to find you, tell you I need you, tell you I set you apart. tell me your secrets and ask me your questions… oh, let’s go back to the start. running in circles, coming up tails, heads […]

se escrevo de amor, escrevo você

há semanas que eu não conseguia sequer segurar um lápis em frente de uma folha branca. encarava o tracinho piscando na tela do notebook, do celular e não consegui digitar nada. estava engasgada, abarrotada de lembranças tuas, que foram resurgindo dos jeitos mais absurdos possíveis, nas pessoas mais improváveis. me senti apavorada nos dias em […]

as nossas etc

Limpava a estante de livros, quando o teu abraço me apertou por traz como nos velhos tempos. Ah, os velhos tempos! O brilho dos teus olhos, cativando o meu sorriso, enquanto me encarava através dos espelhos. Ah, se os espelhos dessa casa contassem sobre nós! … são as lembranças da sua presença calorosa que ainda […]

o teu mar

Penso em te escrever quase todos os dias. Penso em dizer as coisas que ficam sempre entaladas de uma forma que me impede de seguir em frente. Há sempre muito para dizer, mas poucas formas de expressar. Sinto que estou perdendo a capacidade de expor os meus pensamentos como antes. Ou eu esteja me tornando […]

vontades

tenho vontade de te procurar, de te ver, de saber como você está, o que anda fazendo. tenho vontade de te ligar pra te contar sobre os meus dias, desabafar sobre as minhas confusões, sobre os problemas. tenho vontade de ouvir tua voz, de ouvir teu riso, de chorar de rir das tuas piadas. tenho […]

Caixa Postal 001

Querida (o) Clarice LispectorVirginia WoolfCarlos DrummondFernando PessoaJúlio Cortázar quando se está vazio, escreve-se sobre o que ? com admiração e desassossego Francielle Santos

Carregando…

Ocorreu um erro. Atualize a página e/ou tente novamente.


Siga meu blog

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.