te sinto aqui

Eu sinto falta das tuas mãos. Eu sinto falta do teu cheiro. Eu sinto falta do teu olhar percorrendo cada partícula do meu eu como se não houvesse nada além da minha existência.

Às vezes, eu vivo como se ainda estivesse existindo o nosso eu e você e mais nada. Poucas coisas na vida me tiram o fôlego como as tuas lembranças impregnadas na minha pele. Nem sequer lembro quando foi a última vez que tudo parecida bastar. Porém, eu lembro que com você tudo bastava.

Você fora aquele que sabia navegar o meu mar bravo. Você fora aquele que sabia lidar com todas as minhas nuances, até melhor do que eu mesma. Penso que talvez, essa atração insaciável nem seja dessa vida. Talvez seja isso, as nossas almas se reconhecem de outras vidas e eu, que nem acredito em vida após a morte, torço para viver outras tantas vidas com você.

Ainda te sinto aqui, em algum lugar dentro de mim, eu te encontro de novo. Por isso, ainda te escrevo, ainda te procuro no meio da madrugada preenchida pela insônia. Você deixou um vazio muito maior que o espaço na cama, que o espaço no guarda-roupa que não tem roupas minhas que sejam capazes de ocupar. O buraco é muito maior.

Essa saudade repentina é só a ponta do iceberg, da abstinência que a minha vida tem depois que deixamos de ser nós. Por vezes, eu te escrevo diretamente. Procuro por palavras, mas elas me escapam pelos dedos enquanto tento digita-las, assim como me escaparam pelos lábios, quando você me perguntou se eu queria ficar com você para sempre. Que tola eu fui, não é?

O medo de o “para sempre” ser incerto demais, me impediu de te dizer que SIM, que a única certeza que eu tenho, é que preferiria viver o incerto contigo, do que o certo sem você. Não nego. Algumas vezes eu até tenho uma mensagem escrita, não com essas palavras, mas com algo que poderia ser o mesmo. Sei que você me entenderia, mas não envio. Deleto letra por letra e deixou a mensagem desaparecer sob os meus olhos. Navego um pouco mais pelas tuas fotos (e no começo, odeio as redes sociais e a facilidade que elas me permitem de bisbilhotar a tua vida sem mim), te admiro um pouco mais, me apaixono mais apesar de (e não consigo entender, como isso ainda pode ser possível), meus olhos sorriem e choram aos mesmo tempo, por fim eu saio. Desligo o celular e tento desligar tudo isso aqui dentro também.

Por: Francielle Santos

(Foto: Reprodução / Addison Jones)

3 comentários em “te sinto aqui

  1. Tenho me identificado muito com sua escrita. Às vezes tenho a impressão que conversamos e você publicou nossa conversa. Compreendo e consigo sentir toda essa dor que sente.

    Do lado de cá também não está nada fácil. Também tenho muita dor dentro do mim. A dor da mágoa, a dor do fim de uma relação, a dor de ser rejeitada.

    Que nossas escritas possam nos libertar! 🙌🏼

    Curtido por 1 pessoa

    1. que doce é lindo foi ler seu comentário. Foi como receber um abraço apertado.

      Acredito que a palavra tem poder para curar, libertar e construir. Compartilhar meus pensamentos, sentimos e histórias, tem o propósito de abraçar sentimentos e histórias como a sua.

      Obrigada por dividir seus comentários comigo ! / me fez muito feliz hoje 💕

      Curtido por 2 pessoas

Deixe uma resposta para Francielle Santos Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s