carta aberta

“A pessoa faz os seus planos, mas quem dirige a sua vida é Deus.”
Provérbios 16 v. 9 (NTLH)

Querido Deus, eu não sei mais que palavras usar para expor o mar revolto que estão as minhas emoções e pensamentos. Está caótico tentar encontrar um caminho em meio à escuridão que se tornou a minha vida e eu lamento profundamente, ter chegado a esse ponto que mal sei quem eu sou de verdade.

Existe um mundo de possíveis definições das quais eu temo muito ter que reconhecê-las como minhas, tal como anseio profundamente poder revelá-las sem medo do que poderão dizer, pois no fim bem sei que o único julgamento relevante é o Teu.

Todavia não negarei o medo que me cerra os lábios e me torna incapaz de gritar o quanto está doendo e o quando preciso de ajuda. Assim como o mesmo medo paralisa o meu corpo e me torna incapaz de bater nas portas certas ou de me dobrar aos Teus pés no Teu altar e me reconciliar, a mesma paralisia impede-me de levantar as mãos e de orar por alguém ao meu lado.

Não negarei também o quanto hoje me sinto envergonhada diante da Tua presença. O quanto não me sinto mais merecedora de estar entre os seus, e eu sei Deus, que tudo isso são pensamentos enganosos de tudo o que se trata ao Seu respeito. Pois sobre Ti a verdade suprema é amor e misericórdia e isso basta para ir contrário a todos esses pensamentos e sensações que tenho.

Por isso, confesso os meus fantasmas diante de Ti, porque sei que só Tu podes destruí-los de vez, ser a luz no meio da minha escuridão, ser a paz no meio do meu caos, ser a cura para as minhas dores, ser alegria que desfaz a minha tristeza, ser amor que transporta a minha amargurado, És a vida todas as vezes que desejo morte.

Sei que governas todo o universo, assim como governas cada partícula da minha existência. Sei que estás além de tudo e toda e qualquer dor e por isso, ainda existo. Sei que por vezes infinitas o seu amor alcançou a minha vida e por mais absurdo que esteja tudo ao redor, é por meio do sofrimento que muitas vezes me ensina a prosseguir ainda que… muito além de… e apesar de…

Por Francielle Santos

(Foto: Reprodução/ Pinterest)

Um comentário em “carta aberta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s