eu quero te viver

Ah, meu bem, se você soubesse a saudade gostosa e ao mesmo tempo apertada, que sinto quando tomo o meu café e de ti eu lembro, falando todo apaixonado dos mistérios da vida.

Ah se soubesse, da nostalgia calorosa que sinto quando caminho em sua direção, no meio do meu dia agitado, buscando a tua calmaria, só para te vê, tão você.

Já faz um tempo que venho procurando um jeito de explicar, que você provoca um misto de desejo e encantamento, daqueles que faz borboletas se agitarem no estômago, as mãos suarem de nervoso e o sorriso surgir, até mesmo quando tudo o que eu quero é chorar. E às vezes choro, não é? Me sinto tão segura e a vontade na sua presença que as lágrimas escorrem sem medo.

Quando estou com você, tenho uma vontade imensa de te contar do meu dia ou te ouvir contar do seu ou quem sabe, falarmos de astrologia, oceano, montanhas ou não falar sobre nada, só deixar a tensão do dia esvair na suavidade da compatibilidade entre os nossos eu’s que parecem se conhecer de outras vidas.

Por vezes, das quais eu já perdi as contas, eu desejo profundamente morar no seu abraço para sempre.

Sinceramente, no começo só te vê e falar sobre coisas aleatórias bastavam. Perceber as ruguinhas no canto dos seus olhos por detrás dos óculos quando sorria, era suficiente para tornar o resto do meu dia mágico. Sentir os seus lábios beijarem a minha mão toda vez que me recebia, me aquecia a pele até ruborizar as maçãs do meu rosto. Ouvir as suas histórias sob o som calmo e suave da sua voz, me fazia viajar mundo afora sem sequer sair do lugar e tudo isso, ainda continua bom e bem real, mas se me permitir dizer, só te vê é muito pouco. Eu quero é te viver!

Quero te viver com tudo o que é de direito que o amor reserva aos apaixonados. Quero o som dos teus risos. Quero ser protagonistas das suas histórias de amor. Quero experienciar as florestas, os ares, os mares ao teu lado. Quero as manhãs rotineiras, com beijos com gosto de pasta de dente ou de café amargo e forte. Quero planejar os fins de semana fora da cidade. Quero os teus braços. Quero as tuas mãos. Quero o teu cheiro nos lençóis. Quero o teu olhar no reflexo do espelho do closet. Quero as danças aleatórias no meio da sala. Quero o teu colo, com vinho, na varanda, nos fins de tarde com maresia de Ipanema. Quero-te todo. Quero-te para tudo. Eu quero te viver.

Por: Francielle Santos

(Foto: Reprodução / White Magazine)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s