te amei até depois do fim

Sempre pareceu ser suficiente te amar, apesar dos poréns, dos porquês, dos quem sabe. Por muito tempo, bastou estar no meio do caos dos dias, da calmaria das noites, entre os reencontros e também, em todas as partidas. Você nunca fez ideia do tamanho da força que o meu amor tinha. O quanto ele enfrentava e continuaria enfrentando o mundo inteiro para te abraçar, para te ninhar nos meus braços e fazer do meu peito o teu melhor travesseiro.

Vezes incontáveis achei que não resistiríamos e resistimos, porque eu amava por mim e por vezes demais, amava por você. Mesmo quando eu achava que não suportaria mais o tamanho do vazio da cama, o silêncio ensurdecedor da casa, o inverno perverso da sua ausência, ainda ali, exausto de esperar, eu te amava e isso bastava para continuar te esperando, orando com lágrimas quentes de saudade e incertezas, pedindo a Deus com todo o meu coração para de ti, Ele cuidar.

Te amei e isso me bastou para partilhar todos os meus risos, todos os meus sonhos e até abri mão de alguns deles. Te amei a ponto de me mostrar vulnerável, imperfeito, com medo, isso gerou dentro de mim a coragem e o jeito para lidar com os nossos temores, nossas diferenças, nossos desentendimentos, suas tempestades em copo d’água. Te amei de todas as maneiras, inclusive para que eu pudesse entender, que te amar também era ser capaz de te ver livre, te deixar ir caso quisesse.

Amar também é deixar ir, não é? Mesmo quando deixar o outro ir, é se ver despedaçar no chão como uma taça de cristal que escapa por entre os dedos. E assim eu te amei, chorei, deixei a barba crescer, parei de me cuidar no geral, passeis noites quaisquer no bar bebendo algo amargo e forte para suportar, provei outras bocas, mas nenhuma comparado a sua, fiquei dias a fio jogado no sofá aos frangalhos, com o nosso apartamento, a nossa cama, o meu coração revirado. Depois entendi, aceitei, te perdoei por não ter escolhido ficar e te amei de novo e isso me bastou para seguir, mesmo que agora, eu siga em frente sem você.

Por: Francielle Santos

(Foto: Reprodução / Pinterest)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s