eu amei te receber

Existe uma familiaridade entre os nossos sorrisos, um jeito desinibido entre o nosso olhar quando se encontra, um calor aconchegante no nosso abraço, tão nosso, que não dá vontade de soltar.

A verdade é que apesar de tantas diferenças, simplicidade e casualidade que te trouxe aqui, existem muitas boas intenções. Há tantas palavras perdidas entre linhas, dentro de um quase silêncio, que sussurra os nossos puros desejos de ser, quem sabe, só nós mesmos um para o outro.

Eu amei cada conversa, cada riso, cada confissão, motivo que fazia e até os que não faziam sentido. Cada olhar distraído, cada taça de vinho a sua companhia.

Eu amei a forma espontânea e natural que se comportou na minha casa, a maneira gentil e humilde que se fez presente, sendo só quem é (e eles amaram te conhecer!)

Eu amei o seu jeito sem jeito de me abraçar e então, se encaixar como se sempre tivesse estado aqui, entre os meus braços.

Eu amei os seus lábios a provarem os meus, fazendo-me sentir o seu doce sabor… amei o roçar da sua barba tão macia a trazer os arrepios e calafrios ao se aproximar da minha pele, o cair do seu cabelo sobre os olhos, as suas mãos a segurarem meu cabelo, tão dominante, sagaz, tomando-me para si… o seu corpo rente ao meu, seus braços em meu contorno, suas mãos percorrendo o meu corpo. Eu amei te sentir assim, tão mais perto de mim.

Eu amei sobre tudo a nossa calma em nos conhecer, nos tocar e em sermos nós mesmos sem pressa ou receios, dentro das nossas verdades, com os nossos fantasmas também a mesa.

Amei até mesmo as palavras que deixamos para um outro dia.

Eu amei essa sensação que deixou de um “até logo”, de quase saudade. Contudo, uma saudade boa, de querer te ver de novo sem urgência a também, com a esperança de que esse tempo fosse realmente breve. A sensação que ainda não sei descrever de um talvez, um quem sabe, pode ser você: the champion!

E honestamente, estou amando até essa calmaria, misturada com uma pitada de excitação, por permitir sentir e ao mesmo tempo só deixar rolar e ver o que tempo vai dizer sobre nós. Essa ansiedade de querer saber o que somos ou seremos, com nostalgia de “tudo bem não saber ainda” e me permitir ser incrivelmente surpreendida.

Eu amei o carinho que de ti recebi e consequentemente, o carinho que instintivamente te retribuir.

Eu amei abrir a porta para você, eu amei te receber.

Por: Francielle Santos

(Foto: Reprodução /Junebug Weddings)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s