Era amor, quem sabe

Aquela lembrança maltratada de nós dois parece distante agora. Foram tantas epifanias entre nós, que pouco nos dávamos conta do que de fato era válido considerar. E às vezes, é exatamente isso o que acontece: o amor está ali com a bandeira branca, debaixo do nosso nariz, no meio de dois corações atribulados que querem guerrear por razões e sabe se lá que diabos de razões são essas.

A verdade é que nós perdemos tempo demais por razões que pouco compreendemos, na insana procura de provar quem estava mais certo ou mais errado e tanto faz no fim, porque diante de uma guerra, se muito vale um vencedor, do que vale toda a perda que fica depois dela?

Se falamos de amor, falamos de paz e tudo fora disso não faz sequer sentido. E eu me pergunto: do que valeu todas as juras, todas as promessas e planos que fizemos. Se no final, despedaçamos tudo no meio de uma guerra de ego, egoísmo por vans razões? (As imbecis e grosseiras razões).

Meu bem, o amor estava ali tentando apenas dizer que ele bastava pra nós. E é uma pena, nem eu e nem você ter levado a única razão que deveria ter sido levado em conta por nós. Porque sim, se muito ou pouco, se às vezes ou todos os dias, o amor fora a unica razão que valia e insistia por nós!

Por: Francielle Santos

(Foto: Reprodução / Big Matrimonial)

Um comentário em “Era amor, quem sabe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s