e todo resto era um tanto quanto foda-se

Eles se amavam. Mesmo que fossem diferente. Sempre souberam e sempre assumiram entre quatro paredes e se negavam fora delas. E era exatamente isso que dava sentido aquela trama toda que eles contracenavam.

Às vezes no bar, às vezes nos casamentos, as vezes na cama, às vezes cada um de um lado do telefone. Pouco importava o sentido disso, desde que fosse sempre recíproco. Tudo. Essa era a condição: tudo entre eles tinham de ser recíproco e todo resto era um tanto quanto: foda-se!

Mas a verdade mesmo é que o resto era a vida cheia deles. E poxa, como eles tinham uma vida cheia de amigos, de família, de trabalho, de problemas, de projetos e até de “ex” e bla bla bla. E nessas eles iam se encontrando um dia sim, vários e vários não. Se falando do jeito que dava, se conhecendo mais no tempo que sobrava, se desejando e alimentando a intimidade na medida do possível . Até porque uma hora ou outra eles se encontravam e continuavam o que nem sabia direito o que tinham começado.

A graça disso tudo é que sempre foram, sobretudo, um pedaço de céu um para o outro no meio desse caos absurdo das vidas que tinham. Não dava para ignorar a conexão, empatia, sintonia, loucura em comum entre eles. Tanto quanto não dava para negar que se entendiam tão bem, mesmo sendo assim de mundos bem diferente.

Por: Francielle Santos

(Foto: Reprodução / Wattpad)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s