Te espero porque ainda sinto

Meu corpo ainda aguarda o teu prazer. Meu coração ainda espera por teu amor correspondido. Minha história torce por tua chegada para ter sentido. Espero te ver de novo. Eu simplesmente espero. Espero como se fosse a última coisa incrível que eu posso fazer ainda nessa vida. Me perdoe a redundância, as palavras parecem trair a profundidade das minhas intenções. Elas não bastam. Nunca bastaram para te trazer, nem para te manter aqui e agora, parecem ser ainda mais insuficientes para te jurar amor, te jurar espera.

Quantos dias mais terei que escrever-te para te viver? Quantos dias mais terei que depor-te no papel para tentar te esquecer? Escrevo-te entre a dualidade de te trazer como nunca e tentar te apagar para sempre. Contudo, como te trago? Ou como te arranco de dentro do meu peito? Não sei, eu não sei…

Por isso, permaneço teimosa, obstinada, determinada… e todos os outros absurdos que encontrar no vocabulário, pois ainda eu vou afirmar que te espero. Espero, porque depois de você qualquer tipo de amor parece pequeno. Espero, porque parece ser a unica coisa sóbria a fazer depois de eternas e longas madrugadas te procurando por aí. Espero, porque cansei de provar outras bocas, outros abraços, sentir outros cheiros… ainda não encontrei nenhum que chegasse aos teus pés e isso me irrita muito, tanto quanto me dá um certo alivio. Talvez, eu não seja tão louca assim não é, se te espero é porque de alguma forma tu me vales a espera.

Tu ainda me vale. Vale a força da minha palavra enquanto ainda perdura tua existência inabalável dentro de mim. Inclusive já parei de questionar o universo, sobre o porque que os nossos caminhos são tão desencontrados assim. Talvez se um de nós, não quisesse o outro, a nossa história já teria até encontrado um ponto final certeiro, como uma flecha que acerta o alvo em cheio, mas não é assim. Eu quero você tanto quanto você me quer, só não estamos lendo a mesma página do livro, não estamos navegando no mesmo mar. Não é mais por distância geográfica. Não é mais por falta de coragem. É simplesmente por estarmos andando em direções diferentes demais. A vida nos acontecendo como tem que ser.

Deveria ser inconcebível o nascer do amor em dois corações que não se encontram porque a vida é como é, e pronto! Clichê dizer, mas o amor nunca foi criterioso com as circunstâncias da vida ao escolher aquele a quem quer amar. O amor que queima no meu peito te escolheu. E eu que me vire com isso. Estou me virando de algum jeito que por vezes, não tem jeito nenhum.

Te procuro em tudo. Quero te contar tudo. Quero te vê todo dia e fotos e stories algum me bastam. Quero te ouvir e Deus sabe, quantas noites eu digito o teu numero na tela do meu celular. Quero te amar tanto que nem um escrito vai dar conta de retratar. Tu já estavas desenhado nas páginas da minha vida. Um sonho de amor que eu nem imaginei que um dia pudesse sentir, mas sinto.

Te espero, porque ainda sinto. Sinto você em mim!

Por: Francielle Santos

(Foto: Reprodução / 50 Tons de Cinza – O Filme)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s