é grave ter que engolir


Acordei toda agitada e com um aperto esquisito no canto esquerdo do peito e com uma pressa desenfreada vasculhei por vestígios teus por aqui.

Ainda cambaleando após uma noite de sono mal dormida, apesar de eu ter sentido como se tivesse entrado em coma eu revirei os livros em cima da mesa, as pastas no celular, até liguei o computador procurando algo que fizesse eu te encontrar.

Não achei aquela tua/minha camiseta branca que você me deu, se lembra? Na primeira vez que dormi na sua casa e ela me coube perfeitamente bem. Não achei a tua bagunça que me incomodava tanto e nem pude acreditar que até dela eu sentia uma certa falta.

Foi nessa confusão, um tanto desesperada de não ter certeza se estava procurando pedaços teus ou meus dentro da imensidão do meu quarto de cinco metros quadrado, que eu te liguei, só para te pedir um pedaço nosso que pudesse representar qualquer coisa de nós dois.

Te acordei antes das seis e você ainda com a voz de sono perguntou se tinha acontecido alguma coisa grave.

Eu quis dizer que sim, que está acontecendo uma coisa muito grave há muito tempo, você não está sentindo, pois procura ignorar a saudade que sente do meu cheiro, do meu gosto, do meu jeito. Você mente para si, como mentiu para mim, para nós naquela noite que você jurou que ficaríamos bem, mesmo que fosse ser ficar bem longe um do outro.

E não estamos bem, você sabe disso! É grave, muito grave o tamanho do buraco que carregamos no peito. É grave as horas de sono perdidas tentando esquecer o que não foi escrito para esquecer. É grave esse aperto no peito, que parece que o coração vai falhar a qualquer momento, toda vez que alguém pergunta de você e eu não sei dizer com você está de verdade. É muito grave toda vez que a gente tenta seguir em frente com outro alguém e machuca sem querer e se machuca mais ainda. É grave toda vez que desmorono e você não está aqui para me amparar…

É grave ter que engolir na marra tudo isso e dizer que não é nada, que liguei sem querer, que está tudo bem, que lamento ter te acordado tão cedo e desejar que você tenha um maravilhoso dia, quando no fundo eu sei que nada disso faz diferença mais.

Por: Francielle Santos

(Foto: Reprodução / Magazine Feed)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s