como será ela?

Faz meses e eu ainda me pergunto, o que é que ela tinha que eu não tinha que você quis ter para você. Quando estou no banho e sinto a água quente correr por todo o meu corpo, questiono-me se a pele dela é mais macia que a minha, se o cheiro dela é amadeirado e floral como o meu, como você descrevia. Enquanto visto as minhas lingeries, provoco-me se ela tem as marquinhas do biquíni tão bem definidas como as minhas e que te deixava louco. Eu paro na frente do espelho e fico procurando algum defeito que não me dei conta antes de você e que dê certo ela não tinha e que te atraiu, te convenceu…

Depois que passa a raiva, o que fica é a sensação de culpa misturada com insuficiência. Quando eu penso nela, eu não a odeio, só fico tentando encontrar as respostas entre ela e eu que justifiquem melhor, do que a conclusão de falta de amor e respeito da tua parte.

Qualquer coisa que eu encontre nela mais preferível do que em mim, doe menos do que pensar que o que faltou mesmo no meio de nós três, foi falta de fidelidade com a nossa história a dois, comigo que era a sua mulher e com ela que não tinha nada a vê com os nossos problemas.

Qualquer coisa que seja menos em mim e tenha mais nela, por mais absurdo que seja, me machuca menos do que saber que você não se importou nada com a vida que construímos, quando decidia encontrá-la antes de chegar em casa nas terças e quintas e sabe Deus em quais dias mais.

Sobretudo, o que me dilacera foi o silêncio. Qualquer verdade por mais cortante que seja, vale mais do que a ausência dela. O problema não foi você escolher ela, você tem o direito de escolher com quem quer dividir a sua vida sem que eu faça parte disso. O que me matou foi a sua incapacidade de me contar.

Bastava a verdade para que eu não me sentisse assim tão insuficiente e pequena diante de tudo. Bastava a verdade, ainda que eu chorasse rios, ainda que eu te questionasse para tentar entender, ainda que eu não entendesse naquele momento… bastava dizer que você queria dividir a sua vida com outra pessoa e você me libertária para viver a minha vida sem você. Mais do que mudar de ideia sobre tudo, o que me doe, foram todas as mentiras que me contou para escondê-la de mim. Foi ter descoberto por outras bocas que não a tua, a qual eu mais confiava no meu mundo inteiro.

Tudo doe. Tudo parte ao meio. Tudo tortura por um tempo. Mas tudo pode ser mais suportável (se posso assim dizer), quando mesmo depois que o amor e a vontade de ficar junto deixa de estar, o respeito e o cuidado em ser honesto fica na mesa para a última conversa. Eu não esperava o pior de você. Eu só esperava que não traísse a minha unica exigência: “nunca me escondas nada“, você entrou nessa de acordo com isso. Você não quebrou só o meu coração. Você quebrou a minha coragem de crer nos acordos, nas promessas, na palavra dada.

Por: Francielle Santos

(Foto: Reprodução / Pinterest)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s