vontade que me tira a paz

Quem eu era antes de você chegar com esse teu jeito de foder cada pensamento, cada sentimento, cada certeza, cada segundo de sanidade, já não importa muito. Se antes eu pensava saber sobre alguma coisa, depois dos escritos dos teus dedos na minha pele, pouco me valem tais verdades.

Minhas convicções foram corrompidas por tua precisão escondida atrás das tuas palavras modestas. Há de se dizer que me perdi. E é provável que eu afirme que estive completamente perdida, até sentir-te inteiro dentro do meu corpo que passou a ser completamente teu.

Teu…

Cada gota do calor que derretia a minha pele. Cada suspiro agudo ecoado pelas minhas corda vocálicas exaltadas no meu pescoço. Cada riso entre as mordidas maldosas nos meus lábios. Cada impulso inspirador das minhas unhas que desenhavam na tua pele as minhas intenções. Cada hesitação consumida por cada movimento das minhas pernas que te trazia para ainda mais perto. Cada segundo das explosões que provocara. Cada instante de mim, que passou a ser teu.

Tua…

A vontade de roubar-te inteiro, de amarrar os punhos, vendar os teus olhos cor de mel, te torturar com os lábios úmidos, te marcar a pele, a alma. O egoismo de subtrair cada pensamento de vida, de ar, de orgasmos se não comigo. A insanidade de cometer todos os pecados em cima do teu corpo nu. A urgência para possuir-te o quanto antes e a calma para não deixar-te ir antes que o sol volte a chegar. A sede que não tem hora do dia para saciar, para acabar.

Tua…

Todas as manhãs que os meus olhos te procuram na cama. Todos as noites em que meu corpo grita desesperado pelo o teu corpo. Todas as madrugadas que essa vontade de você me assombra e me toma qualquer tipo de controle. Todos os minutos que são os teus desejos ecoando nos meus pensamentos, pulsando no meu peito, latejando no meu corpo.

Tua…

A minha incapacidade de aceitar qualquer outra possibilidade de riso, de mãos dadas, de movimento, de cama, se não contigo. A minha intolerância com o mais ou menos, o morno, só alguns minutos. A sensação do mundo inteiro ser insuficiente, ser pouco demais, frio demais, pequeno demais, se não for você a presença na minha vida, no meu coração, no meu corpo.

Por: Francielle Santos

(Foto: Reprodução / Pinterest)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s