você + te amar = tristeza

Eu nego! E a parte racional e fria da mulher que me tornei vai sempre negar que eu não penso, não sinto, não desejo mais nada. Apesar disso, a verdade mais sombria e melancólica vai encontrar uma forma de estampar na minha face tais enganos. Vai provar com lágrimas durante a madrugada, quando a tua saudade chega e rouba toda a minha lucidez. Vai contradizer todos os meus nunca mais, não quero, não posso, não amo.

Mesmo assim, vou buscar por forças no mais profundo do meu amor próprio. Forças, para desaparecer de tudo o que foi nosso. Dos amigos, dos conhecidos, dos lugares que compuseram como notas a nossa canção de amor. Forças, para te arrancar como quem arranca uma erva daninha pela raiz do jardim, queimar se preciso, todos os nossos vestígios de vida juntos.

Hoje, reparo com mais cuidado ou curiosidade os casais que vejo por aí. E concluo, depois de imaginar as infinitas possibilidades que puderam existir para que estivessem juntos, que quando juntos, nunca estão pensando no fim. Ao menos é nisso que prefiro crer, até porque quando eramos nós, eu nunca pensei nas variáveis do fim.

É escolha ficar, assim como é escolha partir. Assim como cada mísero movimento entre o começo e o fim também escolhas; sejam para fazer feliz ou triste. Se hoje procuro forças do além para dizer não, é porque escolho não deixar que tu me faças triste mais uma vez. Pergunto-me, como se pudesse ser capaz de justificar o injustificável: por que escolhemos fazer-nos tristes?

Se ninguém chega na vida de alguém por acaso, você chegou para mostrar o lado mais triste do amor. E eu, que sempre fui dada a contos de fadas, obviamente relutei até o fim para aceitar. Como aceitar que amar também pode ser entristecer? Será que é mesmo? Ou será que não era amor? Interrogações, apenas interrogações…

De qualquer forma, escolher ser feliz é a mais nova escolha visceral que faço por mim – como se isso nunca antes houvesse sido a minha maior prioridade e talvez, não tenha sido de fato. E como matemática exata que diz que 2 + 2 = 4, você + te amar = tristeza, não cabe mais na minha realidade. Por isso, vou te negar dentro e fora de mim, mesmo que ainda doa-me em tudo, até que a felicidade do amor seja o meu resultado final.

Por: Francielle Santos

(Foto: Reprodução / Claudia Noelle Photography)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s