#22

acaricio as teclas desse teclado tentando
caminho, em busca de mudanças. 
já não espero o amor passar
já não espero o dia mudar
já não espero, apenas
resisto.
hei de confessar, que há um certo charme na espera
e também na resistência.
ainda ontem,
eu abraçava o meu pai,
beijava a minha mãe,
passeava com os dedos na cabeça do meu irmão,
eu tinha os teus braços para me guardar.
ainda ontem, éramos tão nossos!
— quantos amores você teve? – perguntaram-me um dia desses
— o que é o amor? – me perguntei, respirei profundamente … e respondi:  
Todos os que fui capaz de amar!
ainda ontem, éramos tão jovens, tão simples, tão capazes!

acaricio, as teclas desse teclado tentando
mais uma vez,
nos encontrar.

 

3 comentários em “#22

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s