o frio da vida

… estava encarando aqueles olhos castanhos escuro no reflexo do espelho, os olhos meus. procurava respostas, entendimento, amor e te ouvi. sabia que tua voz ainda faz eco na minha cabeça? fechei os olhos para te ouvir melhor. hábito. saudade. amor. tanto faz. contornei o meu corpo com os meus braços e sonhei com o teu abraço que me cabia perfeitamente bem, lembra? um encaixe que beirava a perfeição, se é que não era perfeito! fiquei ali, parada na frente do espelho, coberta das tuas marcas na minha pele, resistindo o inverno da minha vida.

por vezes, resta-nos resistir o frio da vida.

um dia desses, sonhei com você. desde que voltei pra casa da minha mãe, ela irrompe o meu quarto como um raio e me desperta. na maioria das vezes eu tenho a sensação de que vou infartar. se levanto, passo mal e sinto uma vontade absurda de chorar. desejo a minha casa, a minha cama, o meu sossego… mas como ia dizendo, neste dia que você estava comigo enquanto eu dormia, ela não me acordou. não sei bem o que houve, parece que tudo conspirava para eu passar mais tempo contigo. dormi o dia inteiro. penso, que eu não queria acordar nunca mais. mas a vida não é um sonho, não é ? ainda que algumas vezes a equipe de cinema da minha cabeça capriche na produção, eu tenho que acordar. tenho que encarar os fatos. tenho que encarar a vida como ela é, como ela está.

the life is sucks! entretanto, vou levando. crescer, sempre foi difícil. endurecer, tem sido doloroso. também não é certo dizer que tudo isso é por falta de você. é sobre tudo, e esse tudo é que me rouba o sono, a alegria, a vontade de continuar. e com certeza, é sobre a falta de ter alguém de verdade com quem contar. é sobre não se sentir segura, mesmo estando na casa mais segura do mundo para um filho. acho que nunca estive tão sozinha na minha vida toda. nunca estive tão sem chão. tão sem rumo. além do mais, há também um vazio por dentro. um aperto no peito. logo eu, sempre tão transbordante de vida, lembra?

não tenho saído. evito até a garagem. meu irmão esses dias quase me arrastou para uma resenha com os amigos dele dizendo que eu precisava de vitamina D (de sol e de gente). o convenci pelos motivos óbvios (a pandemia piorando), mas confesso que foi mais uma desculpa, do que qualquer outra coisa // tenho saudade da gana da minha juventude!

Por: Francielle Santos

(Foto: Nicole Lyons)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s