és uma escolha

Se eu tiver que escolher entre o meu coração e você, eu vou perder.
Eu soube disso na primeira vez que você cheio de certezas invisíveis, disse que me amava e eu silenciei as palavras que pulsaram dentro do meu peito. Nos dias seguintes aquela ligação eu quis desaparecer. Era mais fácil e mais confortável. E no primeiro momento, eu me afastei. Não totalmente, porque eu já sabia que tinha passado a respirar com um tubo de oxigênio que era teu – era você.

Você era a minha escolha mais improvável na vida!
Era aquilo que eu reprimia dentro de qualquer possibilidade de conto, de tentativa, de poesia. O ponto fora das minhas curvas. O estranhamento dos sentimentos nunca despertados. O desconforto do primeiro toque nos lugares nunca tocados. Um tipo de surpresa nunca esperada. A euforia da primeira vez numa montanha russa desconhecida. Um tipo de cor nova no arco-iris do meu céu. Você era o meu primeiro impulso de não – não quero, não aceito, não preciso. E todos os impulsos seguidos a este, a necessidade absurda e viva do e se – e se for ele, e se for agora, e se for amor?!

Eu te amo
navegando uma correnteza de não saber como construiremos o que quer que venhamos a nos tornar amanhã. Na tela branca do futuro, nas folhas ainda não colocadas na máquina de escrever que tanto me esperam, das quais, relutante, recuo. Contudo, você vem e diz: Eu não te solto. Eu estou aqui. Eu estou contigo. E eu te sinto vivo dentro de tudo que estava morto dentro de mim. Trazendo calor e luz à lugares abandonados com o tempo. Abrindo as janelas. Sacudindo a poeira. Tirando-me da cama todas as manhãs.

Às veze, pergunto-me, se você tem ideia da revolução que causa aqui. E eu reclamo. Claro, que reclamo! Tenho medo! Tenho mazelas demais para me dar o luxo de não temer. Mas você tem sido um tipo de ponte. Uma ponte entre o meu limbo e o jardim do outro lado do abismo abaixo dos meus pés. Você, que é um tipo de chão, de segurança, de casa. E eu sei que se eu tenho que escolher entre o meu coração e você, eu já perdi!

Por: Francielle Santos

(Foto: Reprodução / Dylan)




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s