ser impossível

Eu sei o que sou.
E o que eu sou, te fascina, te arrasta para as minhas profundezas, te embriaga, te afunda. Também sei o que eu não sou e quem esperei que eu me tornasse. Mas são as minhas lacunas, as minhas rachaduras, as minhas impurezas que te trouxeram, que te fazem ficar – é cada partícula esmiuçada que faz eu ser quem sou, que te mantém por perto. Eu não amo o que você ama em mim! Por vezes, me lanço do abismo, mas você é a corda que me segura. É tua esperança nos tubos respiradores que mantém os meus dias respirando. É o teu querer, o desfibrilador que faz o meu querer reagir. São as tuas mãos que seguram as minhas incertezas e escrevem nas páginas brancas do amanhã. É a perseverança do teu caminhar que regam em mim amor.

Amor…
Essa palavrinha tão pequena que representa tanto, tudo, muito, nós. Se não fosse amor, o que seríamos? Só mais duas raízes secas de uma árvore qualquer no meio da floresta da vida. Raízes – é isso o que o teu chegar representa. Emaranhando-me. Aprofundando-se dentro daquilo que ainda anseio ser. Se não nós, quem? E toda e qualquer outra realidade de alguém parece mísera, pequena, solúvel. Você me desmancha todos os dias, mas não se desfaz apesar de mim – das birras, faíscas, perplexidades, inseguranças. Nada tem nos abalado! Reconheço e talvez, só aqui seja amor. Amor. Amor. Fé.

Diante de tudo o que ainda não somos, temos sido fé por dias melhores. Confiança de que primavera que vem vindo logo ali. Temos sido fôlego de vida que falta no planeta, nas cidades, nas ruas, nas casas. Ar – você tem sido meu ar. E a falta dele – você, que também tem me roubado o ar nos pulmões quando me toca. E tocas – os meus sonhos, os meus arquivos, as minhas idéias, as minhas loucuras, as minhas contradições, as minhas certezas, todo o meu corpo.

Éramos impossíveis!
Você era impossível. Eu era impossível. Nós – a coisa mais absurda do mundo! Porém, nos alcançamos todos os dias, todas as noites, todas as semanas, todos os meses e eu acredito, que nos alcançaremos por muitos anos.

Por: Francielle Santos

(Foto: Reprodução / Carrie Rogers )

2 comentários em “ser impossível

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s