#41

deixo ir
deixo de ser
deixo de sentir
deixo de estar
deixo de ouvir
deixo de falar
deixo de existir

procuro-me
nas vielas das entranhas
nas esquinas das lembranças
nos becos entre os ossos onde me larguei

onde estive?
onde estou?
para onde devo seguir?
onde estão as certezas?
as tive um dia?

sigo
sigo deixando
sigo perdendo
sigo sentindo

tenho impulsividades atrasadas
urgências silenciadas
queimo em febre de 40º
as urgência que tenho de vida

até quando?
até quando sobreviverei

Por: Francielle Santos

(Foto: Reprodução / stick sand stones agency)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s