resta-me esquecer

resta-me esquecer

resta-me esquecer. esquecer, que um dia me apaixonei pelos teus olhos negros. esquecer, que um dia me deixei envolver pelo tua voz, me convencer por tuas palavras, por teus jeitos... esquecer, que me deixei descobrir pelo toque preciso dos teus dedos, pela segurança das tuas mãos. esquecer, que transbordei no teu corpo. esquecer, que te [...]

#24

#24

ela só queria sair a francesa com a mala carregada só das boas lembranças (da menina doce, do pai zeloso, da mãe cuidadosa, do irmão sorridente). sair de fininho ... sem muito alvoroço sem gritos nem bramidos sem os assombrosos questionamentos. sair sem medo, talvez, para um rumo incerto mas feliz.

eu era a tua mulher

eu era a tua mulher

eu era a tua mulher, e era justamente você quem gostava de dizer isso em alto e bom tom para as paredes ouvir e baixinho, ao pé do meu ouvido... e eu era mesmo! eu queria ser. eu fazia de tudo para ser. eu me entregava inteirinha para ser. quando entrei no taxi naquela noite, [...]

#22

#22

acaricio as teclas desse teclado tentando caminho, em busca de mudanças.  já não espero o amor passar já não espero o dia mudar já não espero, apenas resisto. hei de confessar, que há um certo charme na espera e também na resistência. ainda ontem, eu abraçava o meu pai, beijava a minha mãe, passeava com [...]

a marca de uma lágrima

a marca de uma lágrima

Autor: Pedro Bandeira Ano: 1985 Gênero: Romance Seremos dois novos amantespelo amor energizados,transformados,mas em quê?Quem eras antes de mim? Quem sou depois de você?Página 22 Foi aqui, nas páginas da 1º versão do livro de Pedro Bandeira, que eu descobri o que viria a ser a minha mais duradoura paixão! A marca de uma lágrima [...]

carta para amanhã

carta para amanhã

querida eu, quando me encontrares amanhã me abraces. contes-me, que tudo no fim, quando o fim chegou, deu certo ou que deu alguma coisa ao menos. que as nossas angústias não foram em vão. que as nossas dores, floriram. que agora sorrimos mais e que todos os dias, vivemos a vida que deve ser vivida. [...]

Toda Poesia

Toda Poesia

Autor: Paulo Leminski Ano: 2014 Gênero: Poesia objetodo meu mais desesperado desejonão seja aquilopor quem ardo e não vejo seja a estrela que me beijaoriente que me rejaazul amor belezafaça qualquer coisamas pelo amor de deusou de nós doissejapágina 47 Antes de muito dizer, preciso confessar que eu nunca fui de poesia e poemas. Um [...]

(re)nascer

(re)nascer

os meus dias todos já estavam escritos  ainda que nenhum deles houvesse ainda  os meus dias todos já estavam escritos ainda que nenhum sonho meu houvesse ainda  há vinte cinco anos nasci para o que estava escrito há dez anos resisto pelos meus sonhos quando nada era, eu tudo pensava saber.  quando tudo veio a [...]