#31

#31

eu tento juntar os cacos eles me ferem eu tento esconder as feridas o sangue mancha as minhas vestes eu tento silenciar o meu grito e ele derrama através dos meus olhos

#30

#30

procuro o teu aroma nos cheiros salivo o teu gosto nos sabores  ambiciono o calor do teu peito, no gélido travesseiro. amo-te, ainda que tudo  já não te percebo como antes careço-te, porque tudo ainda és. agarro-me nas certezas de quem somos para não te perder no que ainda não somos.  a tua vida está [...]

#29

#29

a vida sem você dói-me até nos ossos! não ter mais a certeza de que vais chegar é o meu desamparo na vida. (saudade dos teus beijos todos, em todo lugar de mim) as tuas lembranças são a desesperança dos espaços tornarem a ser preenchidos. (saudade do eco das tuas risadas dentro deste quarto) humilhas-me [...]

#24

#24

ela só queria sair a francesa com a mala carregada só das boas lembranças (da menina doce, do pai zeloso, da mãe cuidadosa, do irmão sorridente). sair de fininho ... sem muito alvoroço sem gritos nem bramidos sem os assombrosos questionamentos. sair sem medo, talvez, para um rumo incerto mas feliz.