Poesias

Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece, como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento.

Clarice Lispector

#73

palavras deformadassentimentos subjetivostoques irreaismeu corpo adormecido sob os teus olhos friostudo foi tão em vão!

#72

perfeccionismo a linha tênue entre:o capricho excepcional o cobrar-se em demasia o tempo todo

#71

nunca foi suficientenunca é suficientenunca será suficiente filho(a) nada que você faça é suficiente!

#70

onde posso ir afim de escapar das lembranças? onde posso estar sem que a angústia me encontre? onde posso ser, sem que não haja o peso do agora encurvando os meus ombros?

#69

você pode ter tudomas não todos os diasvocê pode ter tudomas não todos os diasvocê pode ter tudomas não todos os diasvocê pode ter tudomas não todos os diasvocê pode ter tudomas não todos os diaseu posso ter tudomas não todos os dias. [Frase original – You can have it all (just not every day) […]

#68

na tela, notificaçõesoperadora do celularbancogrupos do WhatsAppprevisão para o dia vai ter Solsilêncio nenhuma ligação perdidae-mailstrabalhotrabalhopromoçãotrabalhosilêncio faço um chá ignoro os pensamentos de urgênciasrespondo um ou outro prioridades ignoro os ecos da ausênciame concentro no barulho de forasilêncio. Por: Francielle Santos

#67

duas e quarenta e oito da manhãsubo as escadasa neblina veste o silêncio da cidadehá paz nas casasconvenço-meacendo um cigarro desce uma lágrimaacendo o segundoseco a mesma lágrima paralisadana face que nada mais diznada mais sentenada mais é

#66

foi numa tarde sem sol sem chuvasem pressasem nuvem e a tão estimada e grandiosa metrópole de São Paulosequer se parecia com ela mesma. ela também não parecia ser elaa olhar por aquele quadrado de janela antigano quarto que também parecia relíquia para um começo de vida que sequer fazia sentido. e mais uma vezpela […]

#65

juntei os meus pedaços reuniu forças do mais profundo que eu tinha sidonão esqueci nada não deixei de sentir tudoreorganizeime reescrevi te reescrever,foi a única maneira de continuar existindo sem ti.

#64

— eu te amei naquele instante sequestrado. no meio daquela semana de caosonde todas as chamadas foram silenciadase cada mísero não, ignorado. não era dia especialnão era dia de nada atravessada por tuas confissõesesmagada pela minha saudadeeu te ameite amei como se fosse morrer em questão de segundos. eu te dei tudo. você era tudo. […]

#63

não falamosnão ouvimosnão sentimosnão fazemos e mesmo assim queremos o mundo! que justiça há nisso?

#62

nos conhecemos no meio do inverno estávamos todos tão frios e humanamente desconectadosque não reconhecemos ali o inicio colorido de uma linda primavera! desatentosdescuidadosdespretensiosossoltos eu (quase) diria até que perdemos uma chance! mas que chance?

#61

silêncio silênciosilêncio as minhas formas estão em silêncio. até quando? silêncio por vocêsilêncio por nós silêncio silênciosilênciosilêncio

#60

atravessadassão as tuas palavras não ditas no meio dos meus versos tortose insignificantes, são os teus feitos no escoar daqueles dias despovoados armários, cômodos, garagem, sobrenome, eu atravessadapor você.

#59

pen drive pastas lapsosarquivos vidafotos movimentosdois mil e …podíamosfazíamoséramos felizes dois mil e … fotosenvelhecidasarquivos mortospastas deletadassessenta e quatro gigas

Carregando…

Ocorreu um erro. Atualize a página e/ou tente novamente.


Siga meu blog

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.