O coração vazio

O coração vazio

Meu pai batia na porta do meu quarto com desgosto, insatisfação, desapontamento. Nunca precisei olhar nos olhos do meu pai, para saber quando ele não estava feliz comigo. Nunca precisei ouvir os raros longos áudios, para compreender o que ele esperava de mim. Meu pai que nunca levantou a voz, a mão - batia na [...]

você me ouve?

você me ouve?

Faço queixas da tua incompreensão na sala do meu terapeuta. Ele me aguarda com aquele olhar sereno e paciente por mais devaneios ou conclusões, enquanto eu escondo o meu olhar triste e decepcionado nas folhas da árvore em frente a janela grande de vidro do consultório e que alcança até o quarto andar do prédio. [...]

do outro lado

do outro lado

Estranho é pensar que o bairro das Laranjeiras satisfeito sorri, quando chego ali All Star - Nando Reis Eu sempre estive pronta para partir. Eu sempre soube o que eu tinha que levar comigo - e cabia na mochila da escola. Menina ainda e o meu tio dizia para o meu pai: "Alan, a Fran [...]

três mulheres

três mulheres

Não falta muito para virar a minha estação! E eu que sempre negligenciei essa data, nunca falei tanto dela o tempo todo. Estou apavorada e impressionantemente serena, se é que é possível ser tempestade e calmaria ao mesmo tempo. Tenho pensado muito na minha avó materna. Esses dias tentei escrever um texto sobre ela, mas [...]

três da manhã

três da manhã

são três da manhã. o céu está nublado. o silêncio do quarto me ensurdece. há pouco levantei para fazer um chá. alecrim, erva cidreira, hortelã e mel. mas nada me aquieta. há meses entre um amanhecer e anoitecer eu assisto a vida passar pela janela. não é nada romântico ou poético que possa um dia [...]

Escadas

Escadas

Não era como eu contava, que havia caído do décimo nono andar. Que um dia estive lá em cima e de repente, estava caindo, caindo, caindo. Um tombo grande, bem feio, que estraçalhou-me inteira. Na verdade, foi uma coleção de quedas, despedidas, quase's. E cada tombo me quebrou de forma diferente. Alguns mais que outros. [...]

a pulsar

a pulsar

... mãos a percorrer o corpo frio, vazio, incerto de ser, de estar, de se permitir sob o controle da mente, confusa, perdida, ambiciosa, orgulhosa ambos completamente nus de suas certezas, razões, intenções, verdades no chão, a procura da coragem de ser o que por dentro clamava por liberdade tentava silenciar os pensamentos mais sombrios, [...]