#54

#54

todos os dias quando acordo não tenho mais o tempo que passounão tenho mais aquela forçanão tenho mais aquele ser destemido. mas tenho tempotenho sede de vida acumuladatenho fé no dia que vem vindotenho coragem, apesar do medo. e voua passos curtos à descobrir pelo caminho as possibilidadesna caminhada firme rumo para algum lugar que [...]

#50

#50

diferenças: você é calorele é incêndio você é garoaele é tempestade você é ventoele é furacão você é ninhoele é pássaro você é leãoele é lobo você é remédioele a lança que atravessa você é alimentoele a insaciedade você é a escutaele é o som você é o coloele é a espera você é casaele [...]

#49

#49

acinzentadolargofrioo nosso quarto vazio! era meuera nossoera nósnada mais há! o relógio no criado mudo não paroua sua vida seguiue a minha vida continuou......parada no minuto que você partiu.e então o vazio! senti raivasenti saudadesenti medosenti doragora, pouco eu sou! volta e meiade ti lembronão entendomas deixo como esta.se você quisesse ficar, ficava!e eu... ah, [...]

#46

#46

camada a camada estão as palavras escondidastranspiro sangue enquanto resistohaverá sempre uma maneira de sangrar cicatriz a cicatriz as tatuagens sob a pelerevelam os caminhos que tomei irreversíveissecas, mas nunca transparentes lágrima a lágrima subsisto os diaschoro ainda que de dentro para continuar respirando há sempre um trago de oxigênio em um choro dor a dor [...]

#45

#45

asas para que te quero? não te quero: guardaresconderfechar enfraquecerparalisarendureceratrofiar te queromovermostrarabrirfortaleceragitarabrandaralargar asas, te quero, porque só sei voar! Por: Francielle Santos (Foto: TikTok) me acompanhe também no Instagram @reescrevome

#41

#41

deixo irdeixo de serdeixo de sentirdeixo de estardeixo de ouvirdeixo de falardeixo de existir procuro-menas vielas das entranhasnas esquinas das lembrançasnos becos entre os ossos onde me larguei onde estive? onde estou?para onde devo seguir? onde estão as certezas?as tive um dia? sigosigo deixando sigo perdendosigo sentindo tenho impulsividades atrasadasurgências silenciadasqueimo em febre de 40ºas [...]

#40

#40

a onda alta que me arrasta para a imensidãoa insistência no meu eu arredioo sol carioca que amorena a minha pele paulistaa estrada que me leva pra casao reflexo do qual não me escondoa aceitação das minhas marcasa presença que vence todos os dias a distânciaas cócegas na espinha dorsalas risadas descontroladaso amarelo que pinta [...]

#39

#39

tu é a ponteque eu atravesseia passos curtosdesacelerados tu, é a estrada que me levaspor caminhos de risosde aconchegoem direção à casa antes eu estava perdidosozinho...sequer seguiapara algum lugar agora eu caminhoquinze quilômetros todos os dias na sua direção pra te alcançar e eu sei que vou te alcançarte abraçar, te beijar, te tocar, porquetu [...]

#38

#38

e se vocême quebrarme transpassar e se eu te ferirte rasgar e se somosdestruição, irreverênciaintolerância, caos e se tudoruir, cederesfriar e se nadafor realfor palpável e se esquecermosquem somosquem planejamos ser e se afogarmosna paixãona prostração e se a fome de vidaqueimar, matardefinhar, arder e se as horas, como areianos escampam pelos dedossopradas, desaparecem e [...]

#37

#37

os dias eram nossose todas as realidades antes de nós também nada nos faltavanossos pais nos abraçavam todos os diasaos domingos sentávamos todos à mesa contávamos histórias, cantigas, lendas... e sorriamos! os dias eram nossose toda a realidade a partir de nós também os planos eram possíveisos sonhos eram quadros na bibliotecaéramos realizações dentro e [...]

#36

#36

esparramandoenvergandodesatandodesfazendodescamandoacinzentandotransbordandoderramandomolhandoabrandandosilenciandodiminuindocaindocaindocaindo a vida, que não é mais o que era. Por: Francielle Santos (Foto: Reprodução / Flickr)